FORPEDI

Notícias

Dia das Crianças: Respeito ao direito de brincar é o melhor presente

Publicado por Forpedi - 09 de Outubro de 2013

Aumentar Normal Diminuir Imprimir

Dia das Crianças: Respeito ao direito de brincar é o melhor presente

 
OUTUBRO 8, 2013

Unidades da Rede Marista de Solidariedade desenvolvem programação especial para chamar a atenção da sociedade sobre a importância do brincar no desenvolvimento infantil

Lojas lotadas, pais preocupados em agradar, preços de brinquedos muitas vezes exorbitantes. Essas são algumas das cenas que se repetem ano a ano no Dia das Crianças. Porém, o que muitos adultos esquecem é que as crianças têm uma infinita capacidade de imaginar e se divertir com coisas simples. E que essa relação é fundamental para o seu desenvolvimento. Por isso no mês de outubro, as unidades sociais da Rede Marista de Solidariedade organizam uma série de brincadeiras que visam o resgate do direito da criança ao brincar. “É fundamental que os adultos garantam esse direito e reflitam que, por meio do brincar, as crianças se expressam, interagem, ampliam seu potencial, fazem descobertas, inventam, e aprendem”, explica a assessora da Rede Marista de Solidariedade, Soeli Terezinha Pereira.

Além das atividades desenvolvidas nos centros sociais, a Rede Marista mantém o Programa pelo Direito ao Brincar, lançado no início desse ano em parceria com o UNICEF, CENPEC, Instituto Brasil Leitor, Alana e Pastoral da Criança, com o objetivo de contribuir com a mobilização da sociedade e do poder público para a importância da garantia desse direito. O Programa congrega a experiência, conhecimento e atividades de diversas organizações e instituições que promovem e defendam a causa.

“Hoje percebemos um encurtamento da infância, um momento de descobertas altamente significativo no desenvolvimento integral das crianças. Cada vez mais cedo as crianças precisam responder às expectativas dos adultos, tais como a alfabetização precoce, o desenvolvimento de talentos artísticos e o aprendizado de uma língua estrangeira. Assim, muitas crianças, são submetidas a rotinas de estudo e atividades tipicamente adultas, em detrimento de vivenciar o seu tempo de ser criança, do brincar e interagir”, completa Soeli.

A pedagoga orienta que um sinal de alerta é quando as crianças verbalizam que gostariam de ter mais tempo para brincar e que os momentos que mais gostam na escola são o recreio e as atividades onde o lúdico e o movimento são privilegiados. “Viver a infância e ser feliz implica em ter mais momentos para brincar sozinho ou com seus pares, brincar por inteiro, corporalmente e emocionalmente, vivenciando novas experiências, o faz-de-conta, o seu imaginário e sentindo-se livre para criar. Criança que brinca é mais feliz e, certamente, será um adulto melhor”, completa

 


Fonte: Saiba mais sobre o projeto o Direito ao Brincar no site http://www.brincar.org.br

Principal - Acervo - Agenda - Contatos - Equipe - Fotos - Links - Notícias - Vídeos

Associação dos Amigos do FORPEDI - Fórum Regional Permanente de Educação da Infância - 0 a 12 anos
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.

Eraf Produções

Erik Rafael
ERAF